Modelo de Atenção às Condições Crônicas

O Diabetes e a hipertensão arterial sistêmica (HAS) são responsáveis pela primeira causa de mortalidade e de hospitalizações no Sistema Único de Saúde (SUS) e representam, ainda, mais da metade do diagnóstico primário em pessoas com insuficiência renais crônicas submetidas à diálise.

A implantação da Linha de Cuidado da Hipertensão Arterial e do Diabetes Mellitus no Estado do Paraná representa um marco na mudança da abordagem destas condições, tanto pela Atenção Primária à Saúde, quanto pela Atenção Secundária.  Dessa forma, poderemos vislumbrar melhores indicadores de saúde, à medida que se instituem novas tecnologias de abordagem, obtendo, como resultado final, melhores índices de prevalência e incidência destas condições crônicas, bem como de suas complicações no Estado.

Diante disso, o Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (CISCOPAR) realiza através do Modelo de Atenção das Condições Crônicas (MACC), atendimento à população estratificada nas Unidades Básicas de Saúde ou nas Estratégias de Saúde da Família, dos municípios que fazem parte do consórcio. A assistência é realizada por equipe multiprofissional, promovendo um atendimento integralizado, humanizado, equânime e com resolubilidade buscando uma melhora na qualidade de vida dos pacientes.

Também, indo ao encontro do Programa Rede Mãe Paranaense, o MACC – Ciscopar promove um atendimento diferenciado às gestantes de risco intermediário e alto risco, realizando atendimento integralizado com o intuito de proporcionar uma gestação e parto seguro e bebe saudável. Neste novo modelo de atenção são realizadas atividades relacionadas às necessidades individuais das gestantes verificadas no decorrer do processo de atendimento pela equipe multiprofissional. 
Em 2015, foram atendidos 135 hipertensos, 186 diabéticos e 166 gestantes, todos de alto risco. Destes, 112 hipertensos (82,96%) e 161 diabéticos (86,55%) encontravam-se estabilizados já na segunda consulta e 163 gestantes estabilizaram, dando continuidade aos atendimentos, resultando na alta de 99 hipertensos (73,33%) e 138 diabéticos (74,19%), bem como de 126 gestantes (75,91%). Em relação às gestantes, em 2015, 3 gestações culminaram em aborto (3,78%). Dentre os nascidos vivos, 1 (0,81%) é considerado prematuro e  (99,19%) nascidos a termo. Conhecendo a dificuldades existentes para estabilização de pacientes de alto risco, o MACC torna-se uma opção viável para solucionar problemas antigos como a necessidade de humanização aos pacientes crônicos, o enfrentamento da redução de custos nos serviços de saúde em todos os níveis e a redução da fila por atendimentos de alta complexidade.

Conclui-se através do atendimento multiprofissional realizado pela equipe multiprofissional MACC - Ciscopar que, além da melhora significativa dos pacientes atendidos, destaca-se também a importância de mudança de modelo de atendimento, observando esse paciente como um todo e respeitando suas peculiaridades. Com o novo modelo de atenção à saúde, pacientes e profissionais envolvidos criam vínculo, facilitando a melhora da condição de saúde e qualidade de vida.

Histórico
Em 17/09/2014, durante a visita da Drª. Maria Emi Shimazaki, formalizou-se a adesão das unidades de Estratégia da Saúde da Família: São Francisco, em Toledo e Santa Terezinha, no município de Palotina e a equipe multiprofissional do Ciscopar.

Em 09/10/2014 foi realizado o primeiro atendimento das gestantes de alto risco da Rede Mãe Paranaense, sendo que nesta data, foram atendidas duas gestantes da ESF do São Francisco pela equipe multiprofissional do Ciscopar. Neste momento, a equipe era composta apenas de: 01 coordenadora, 01 enfermeira, 01 técnica em enfermagem, 01 recepcionista e 01 médico ginecologista/obstetra.

Em 17/10/2014 o atendimento aos Diabéticos e hipertensos de alto risco estratificados e, no mês seguinte, prosseguiu-se a ampliação dos atendimentos as gestantes de alto risco.

Buscando dar agilidade e eficiência na implantação deste modelo é que foi realizada uma visita técnica a Santo Antônio do Monte – MG, nos dias 26 a 27 de novembro de 2014, para conhecer a estrutura física e o modelo de atenção à saúde já implantado e em funcionamento.

Nesta ocasião, houve uma troca de experiências entre as equipes e relatos dos resultados obtidos entre ambas e, a partir de então, as RAS passaram por uma série de aprimoramentos que permitiram sua expansão de forma planejada.

Já no fim do primeiro trimestre de 2015, obtemos um aumento na quantidade, bem como na qualidade dos atendimentos, uma vez que os mesmos passaram a ser realizados em novas, amplas e modernas instalações, com a mudança de endereço dos atendimentos feitos pelas RAS para a nova sede do Ciscopar. 
Em abril de 2015 a equipe de atendimento passa a contar também com uma profissional psicóloga e uma nutricionista, o que proporcionou um ganho considerável na qualidade dos atendimentos, resultando em maior eficiência na resolubilidade dos agravos atendidos pelo MACC - Ciscopar, possibilitando a ampliação dos municípios a serem atendidos pela equipe.

Com a retomada das atividades da cardiologia a partir do mês de junho o MACC - Ciscopar passa a ter novamente a característica de atendimento que conserva até o momento. Consideramos importante levar em consideração um novo salto na quantidade, diversidade e qualidade dos atendimentos, transcendendo o ambiente ambulatorial.

A partir de Abril de 2016 mais quatro profissionais médicos passam a integrar a equipe sendo uma Endocrinologista, um Cardiologista, uma Pediatra e um Gineco/obstetra. A chegada de tais profissionais proporcionou ganho na quantidade de atendimentos e agilidade nos retornos dos pacientes já em atendimento. 
Concluímos ressaltando que, neste modelo de atenção assume-se o desafio de efetivar uma modelagem organizacional que revigora os compromissos de uma gestão democrática, participativa e ética, politicamente comprometida, sem deixar correr em paralelo todo o processo de produção do cuidado que define a qualidade e o modelo de atenção ao usuário.

 

Contato: (45) 3252-3524 e (45) 3252-1554