Notícias

Campanha Julho Amarelo - CTA/SAE CISCOPAR

31/07/18 - 14:45:44 (Douglas Caetano)
Alterado em: 31/07/18 às 15:24:39 por Douglas Caetano

A Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu o dia 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, e todos os anos são promovidas ações com o objetivo de atrair atenção para o tema e incentivar o diálogo sobre as Hepatites, por isso, este mês ficou conhecido como “JULHO AMARELO”.

O CTA/SAE em parceira com a  20ª Regional de Saúde, SESC,UNIMED e Secretaria Municipal de Saúde de Toledo, realizaram ações pelo combate das Hepatites Virais.

No dia 23 de julho ocorreu o Seminário sobre as Hepatites Virais, onde o médico Infectologista do CTA/SAE Roberto Oizumi palestrou sobre o agravo, suas especificações, diagnóstico, sintomas, formas de transmissão e tratamento.

E no dia 28 de julho aconteceu o Dia de Combate as Hepatites Virais. A ação se desenvolveu no Shopping Panambi, onde foram realizados Testes Rápidos para Hepatite B e C, orientações, entrega de folders e preservativos.

O Dia de Combate as Hepatites Virais, resultou em  504 testes rápidos de Hepatite B e C, sendo dois deles reagentes para HBsAg e três reagentes para HCV.

 

O Que São As Hepatites Virais?

As Hepatites Virais se apresentam como grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas, quando estes aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Elas correm o risco de as doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado, como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite. 

A orientação é procurar o serviço de saúde mais próximo da residência e realizar a testagem.

 

Jéssica L. Sartor

Gerente CTA/SAE - CISCOPAR

CRESS-PR 10721


Mural do Fotos