Notícias

III Seminário Multiprofissional de Estomias e Feridas do Oeste Paranaense

09/10/17 - 16:13:36 (Douglas Caetano)
Alterado em: 31/12/69 às 18:00:00 por

A confecção de um estoma é um procedimento comum, realizado por diversas especialidades cirúrgicas, sobretudo em situações de urgência, visando à redução da morbimortalidade pós-operatória. Apesar de comumente realizado, tal procedimento é potencialmente acompanhado de complicações que na maioria das vezes são subestimadas.

As principais complicações relacionadas aos estomas incluem a adaptação inadequada da bolsa devido à má localização do estoma na parede abdominal, dermatite periostomal, necrose isquêmica, retração, prolapso, estenose, fístula, hérnia e abcesso periostomal, e câncer. Como manifestações sistêmicas, podem ocorrer distúrbios hidroeletrolíticos, desidratação em estomas de alto débito, e anemia em casos de sangramento de varizes localizadas no estoma.

Independente de ser temporária ou definitiva, a confecção de uma estomia acarreta inúmeras mudanças na vida do paciente, tanto físicas quanto psicossociais e é nesse contexto que o profissional enfermeiro é fundamental. Os cuidados de enfermagem com o paciente estomizado iniciam-se desde o momento do diagnóstico, no pré, trans e pós-operatório. Cabe ainda ao profissional de saúde informar e esclarecer dúvidas em relação à estomia, aos dispositivos a serem utilizados, cuidados com o estoma e pele periostomal, incentivo ao autocuidado, trabalhar os medos, crenças e manutenção do convívio social e profissional, buscando sempre melhorar sua qualidade de vida.

Sendo assim, tornam-se elegíveis como princípios norteadores desse cuidar, a capacitação dos profissionais e, mais especificamente, do enfermeiro; a reabilitação e a qualidade de vida como pano de fundo para a busca do autocuidado ou do cuidado compartilhado, onde paciente e família atuem como elementos fundamentais no processo de tomada de decisões; e o trabalho em equipe multiprofissional, visto que somente através desse pode-se abranger o indivíduo de maneira holística, na sua singularidade e universalidade.

Partindo da premissa acima supracitada o CISCOPAR realizou nos dia 05 e 06 de outubro no auditório da Prefeitura Municipal o III Seminário Multiprofissional de Estomias e Feridas do Oeste Paranaense para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e estudantes para capacitação do manejo aos pacientes estomizados e os pacientes que apresentam feridas crônicas nos municípios consorciados.

O CISCOPAR atualmente presta assistências a 384 pacientes estomizados dos 18 municípios a 20ª Regional de Saúde através de consultas de enfermagem, orientações pré e pós-operatórias e entrega de equipamento coletor e adjuvantes. Na linha de frente do atendimento aos pacientes estomizados o enfermeiro e gerente do Centro de Especialidades do Paraná João Batista Vieira assume papel de suma importância junto ao Consórcio, pois é ele que no momento do cadastro do novo usuário tem o primeiro conato após a confecção do estoma acolhendo esse novo paciente, suas duvidas, medos e inseguranças.


Mural do Fotos